Map route

The map of this route is not available

PR3 – “ROTA DOS FÓSSEIS”

Anmelden oder Registrieren um Abstimmung oder zu den Favoriten hinzufügen

Anmeldung: PR3 – “ROTA DOS FÓSSEIS”

Travel Forms: Zu Fuß Rad Pferd

  • Januar gelb
  • Februargelb
  • Märzgelb
  • Aprilgrün
  • Maigrün
  • Junigrün
  • Juligrün
  • Augustgrün
  • Septembergrün
  • Oktobergrün
  • Novembergelb
  • Dezembergelb
  • Óptima: green
  • Media: yellow
  • Mala: red

Entfernung Entfernung: 3 km

Geschätzte Zeit Geschätzte Zeit: 1h30

Beschreibung:

Penha Garcia surge no horizonte como um apelo. A partir do que resta da velha fortaleza, a povoação desprende-se das cristas da serra em direcção à planície, configuração que lhe valeu o epíteto de aldeia presépio.
Na zona antiga, o casario apresenta, ainda hoje, inúmeros exemplares de arquitectura tradicional, onde ao quartzito e xisto mais abundantes se misturam alguns elementos de granito. O branco da pequena Capela do Espírito Santo, única do seu género dentro da povoação, ressalta pelo contraste com o ambiente que a envolve.
Memória dos poderes de um outro tempo, o Pelourinho de Penha Garcia é um dos exemplares mais interessantes que podemos observar na região, datando do reinado de D. Sebastião e com a particularidade de se encontrar assinado pelos seus autores – Estêvão Simão e Domingues Fernandes.
Daqui, o caminho acompanha a encosta, sempre a subir em direcção à Igreja Matriz e ao Castelo. A primeira é obra recente que esconde uma existência de vários séculos, testemunhada pelas imagens que guarda no seu interior, onde se destaca a Virgem do Leite, escultura gótica em pedra de ançã, de mestre João Afonso e que, como se inscreve na peanha, “Frei Álvaro de São Paulo a mandou fazer no ano de 1469”; já o Castelo, derradeiro vestígio da fortaleza que outrora protegeu a aldeia, é hoje um soberbo miradouro.
É precisamente a partir daqui que podemos ver, para norte e em toda a sua grandiosidade, as arribas que envolvem o vale encaixado do rio Pônsul, que nasce não muito longe daqui. O sul, por seu lado, é um imenso horizonte a perder se vista, numa suave ondulação de relevos, crispada aqui e além por um ou outro ponto, onde se destaca, inevitavelmente, o cabeço de Monsanto.
Seguindo o caminho que partindo do Castelo segue em direcção ao paredão da barragem, num percurso que envolve todo o vale, as imponentes arribas revelam a sua espantosa riqueza em fósseis. Aqui e ali, as rochas expõem perante os olhos do visitante atento uma profusão de vestígios dos seres que, na Era Primária ou Paleozóico, viviam nesta região, à época, um leito marinho.
Hoje, abaixo da imponente parede da barragem, acompanhando o curso do Pônsul, vamos ao encontro dos velhos moinhos de rodízios. Alvo de recuperação nos últimos anos, o conjunto que hoje pode ser visitado é apenas uma parte daquele que foi o maior conjunto de unidades moageiras do concelho de Idanha-a-Nova. Nos nossos dias, apresenta-se como o pólo mais importante desta tipologia tecnológica, constituindo a base do núcleo museológico dedicado à actividade moageira que no futuro se pretende constituir. O pão é, ainda hoje, uma referência de Penha Garcia, juntamente com outras especialidades gastronómicas (bicas de azeite e bolos secos) que, até há bem pouco tempo, eram cozidos no Forno Comunitário, situado no Largo das Portas da Vila, junto ao chafariz que evoca a memória do trabalho árduo das gentes de Penha Garcia, quando estas tinham de ganhar o seu sustento longe da terra de origem.
Acrescente-se a tudo isto a riqueza da região em termos paisagísticos e ecológicos – classificada como Biótopo da Serra de Penha Garcia - , com destaque para as matas frondosas que se estendem, a norte, pela Herdade do Vale Feitoso, e para as boas condições para a observação de fauna selvagem. Penha Garcia justifica, sem dúvida, uma visita atenta.

Half MIDE: Das Medium ist keinen Risiken ausgesetzt

Itinerary MIDE: Pfade oder Ausschilderungen, die den weiteren Verlauf angeben

MIDE displacement: Über gestaffelte Pfade oder unebene Flächen