Nisa

Accede o Regístrate para votar o añadir a favoritos

Territorio: Portugal

Descripción detallada:

Nisa já seria uma povoação com alguma importância antes de 1232, e já seria um concelho, uma vez que o Foral da Vila do Crato refere que os costumes dados ao Crato eram idênticos aos dados à Vila de Nisa.
O Foral era um documento emanado pelo monarca pelo qual se constituía o concelho, se regulava a administração e se indicavam os seus limites e privilégios.
Refere o autor que o primeiro Foral de Nisa terá desaparecido em 1704 aquando da Guerra da Sucessão, a par de muitos outros documentos que foram queimados e pilhados.
Relativamente á localização do núcleo urbano da primitiva vila estaria situada no actual Cabeçinho de Nossa Senhora da Graça.Teria um castelo e muralhas construídas pelos Cavaleiros da Ordem dos Templários, que lhe tinha sido legada pelo Rei D. Afonso Henriques.
No reinado de D. Dinis, a vila iria sofrer um duro revês uma vez que na luta que opôs o Rei e o seu irmão D. Afonso, os habitantes da vila decidiu defender D. Dinis e por essa razão o seu irmão saqueou e demoliu a vila. Estávamos em 1242.
Foi reconstruída a nova Nisa, onde nos encontramos actualmente, sob o apoio de D. Dinis. Neste local existiria o conhecido Castelo de Ferron, ou Perceptoria dos Templários.
Ainda há a referir que o Foral datado de 1512, dado por D. Manuel á Vila de Nisa, apresentava a palavra Nisa escrita com dois SS, provavelmente devido á influência da palavra Nice.
Ao longo dos tempos foram concedidos outros privilégios, D. João I atribui o título de Notável à Vila de Nisa e por sua vez D. João IV por carta régia de 13 de Outubro eleva Nisa á categoria de Marquesado, de que fez mercê D. Vasco Luís da Gama, 5.º Conde da Vidigueira.
Até 1834 Nisa foi administrada por uma câmara composta por três Vereadores, o presidente era o Juiz de Fora, nomeado pelo Rei.
Em termos populacionais, no ano de 1792 tinha 587 fogos e 1971 habitantes, em 1834, 626 e 2045 respectivamente e em 1854, 776 e 2992. Nota-se uma tendência sempre crescente, no início do século XX atribui-se á freguesia de Espírito Santo 3485 habitantes e á da Senhora da Graça 1216.
Em termos eclesiásticos pertenceu primitivamente à Diocese da Guarda, tendo transitado para a Diocese de Portalegre aquando da sua instituição em 1549.