Map route

MONTÓN DE TRIGO

Inicie sessãoou registe-se para votar ou adicionar aos favoritos

Registo: SL

Formas de viagem : A pé

  • Janeiro red
  • Fevereirogreen
  • Marçogreen
  • Abrilgreen
  • Maiogreen
  • Junhogreen
  • Julhogreen
  • Agosto
  • Setembro
  • Outubro
  • Novembro
  • Dezembro
  • Óptima: verde
  • Media: amarela
  • Mala: vermelho

Distância Distância: 8,8 km

Altura máxima Altura máxima: 333,2 m

Altura mínima Altura mínima: 218,8 m

Inclinação positiva (ida) Inclinação positiva (ida): 26,9 m

Diferença negativa (volta) Diferença negativa (volta): 108,5 m

Tempo previsto Tempo previsto: 2 horas y 30 minutos

Rota Tipo Rota Tipo: Ida e volta

Descrição:

O percurso parte desde a localidade de Zarza la Mayor e chega até ao rio Erges, que actua nesta zona como fronteira natural com Portugal. É um trilho relativamente curto e muito interessante no que se refere a paisagem, pois, entre outras coisas, o final no rio oferece uma bonita estampa “raiana”.

O primeiro troço efectua-se pela Cañada Real de Gata (coincidindo com o percurso com o mesmo nome), através de uma paisagem eminentemente pecuária de muros de pedra. Depois de abandonar a “cañada”, o percurso começa a descer em direcção ao rio, por um carreiro paralelo ao arroio de La Grera, tornando-se o terreno cada vez mais abrupto até cruzar uma passagem de caminhantes e se adentrar numa zona de afloramentos rochosos onde abundam as azinheiras (Quercus ilex subsp. Ballota), os espinheiros (Crataegus monogyna), os terebintos (Pistacia terebinthus) e os lódãos-bastardos. (Celtis australis). Finalmente atravessa um pequeno barranco povoado de salgueiros (Salix sp.) e freixos (Fraxinus angustifolia), que forma o arroio antes de desembocar no Erges, para o que se instalou uma passagem metálica que permite aceder ao miradouro sobre o rio. É um bom lugar para reparar na vegetação própria das fissuras das rochas, composta por candeias (Arisarum simorrhinum), fetos (Polypodium cambricum, Cheilanthes hispanica) ou azedas-das-paredes (Rumex induratus).

Durante quase todo o percurso, e, sobretudo, no último troço, é fácil observar grandes rapinas, como grifos (Gyps fulvus), águias-de-Bonelli (Hieraaetus fasciatus), abutres-do-Egipto (Neophron percnopterus), águias-cobreiras (Circaetus gallicus) ou águias-d’asa-redonda (Buteo buteo), além de cegonhas pretas (Ciconia nigra) e numerosas aves pequenas como o chamariz (Serinus serinus), o pintassilgo (Carduelis carduelis), a toutinegra-de-cabeça-preta (Sylvia melanocephala) ou o bico-grossudo (Coccothraustes coccothraustes).

Meio MIDE: O meio não está isento de riscos

Itinerário MIDE: Sendas ou sinalização que indica a continuidade

MIDE displacement: Marcha por caminhos em ferradura